22 de abr de 2012

Duração

Cada verso e cada palavra traz em si um valor intrínseco e, indubitavelmente, de proporções indescritíveis, que por vezes é relacionado a pessoas, por outras a situações, ou seja, pessoas de forma oblíqua. As relações de atração sexual e carnal e, também, as relações de atração emocional e afetiva surgem e, mesmo de curta ou longa duração, moldam nossas linguagens corporais e verbais. Em suma, somos, agimos e falamos conforme fomos moldados pelos nossos afetos e atrações.

Há relações de ordem familiar, seriam as afetivas, com uma carga de amor e dedicação incondicional, geralmente reconhecidas na mãe e no pai. Há relações de ordem fraternal, leia aqui irmãos de sangue e irmãos de alma(amigos), que eu também ligo ao círculo de atrações afetivas. Mas, penso, que as atrações que mais geram transformações e interrupções nos nossos comportamentos são as de atração carnal e sexual.

Observando as relações familiares, percebemos que não temos a preocupação de nos transformarmos para agradar e atrair mais cuidado e afeto sobre nossa existência, pois o valor de dedicação incondicional nos assegura que nada nos afastará, o máximo visto é um abalo temporário. As fraternais já nos exigem um certo cuidado, pois são carregadas de fraquezas e áreas de cuidado, geralmente delimitados pela criação e caráter da pessoa. Enfim, nenhuma exige o cuidado de uma relação afetiva que envolve um relacionamento de ligações sexuais, pois o excesso de convívio, a ausência de áreas de particularidade e a necessidade de integral fidelidade atingem totalmente o cotidiano e trazem uma obrigação de renúncias a vontades e atitudes antes comuns e agora contradizentes com a realidade do outro lado envolvido.

Neste blog sempre trago reflexões sobre relações humanas. Quero apenas invocar uma reflexão acerca da durabilidade das relações afetivas desenvolvidas atualmente. Como antes falado, em relações que envolvem amigos e familiares a necessidade de cuidado para atingir o mundo e ultrapassar os limites dos mesmo é menor, pois familiares já nos adequam desde pequenos ao estilo que a define e os amigos são escolhidos por ter afinidades e pontos de aproximação. Mas as relações de namoros e casamentos exigem uma série de cuidados bem maior, pense em duas pessoas com cargas de criação e valores diferentes e, por vezes, divergentes, tendo tempo de contato prolongado e durante estes períodos com todas as defesas retraídas, pois estas relações exigem entrega, cumplicidade e confiança. Cada palavra e cada atitude sendo diretamente julgada e cada ideia sendo, profundamente, julgada e medida pelo companheiro(a).

Não gostamos de renunciar e de nos moldar a padrões diferentes dos que já trazemos no cotidiano. Decidir entre o que é bom fazer e o que queremos fazer(esta escolha existe em relacionamentos) nos fragiliza e nos faz questionar a qualidade da relação. Não há tanta disposição na geração atual para estas atitudes de baixa de defesa e entrega, há um conceito apregoado de liberdade de expressão total e busca pela facilidade que tem afetado diretamente as relações e a disposição das pessoas para durabilidade afetiva.

Em palavras simples: Quer algo sério? Deixe seu egoísmo de lado e comece a praticar a empatia, ato de se colocar no lugar da outra pessoa, tornando-se uma pessoa disposta a rever conceitos e se moldar a nova relação.


Amo vossos corações, mesmo que não amem o meu.
Uli Teffann


3 comentários:

Rafael Cavinato disse...

Eu gostaria muito de conseguir. Embora venha tentando me colocar no lugar do outro, não é tão simples esquecer o que sinto e ser racional o bastante para me lembrar ou imaginar o que o outro está sentindo. Enfim, o texto é ótimo, Uli, mas não sei até que ponto a prática é algo executável. Adorei as palavras.
Cavi

Yuri Steffann disse...

Eu sei que é dificil, por isso ali falei sobre o comodismo, ou ato de busca pela facilidade. Mas eu creio que a tentativa e luta pelo ato de entrega e renuncia já produz melhoras e crescimento. Não julgo fácil e nem possivel a total entrega e renuncia, mas quero chegar o mais próximo....

But I Must Confess disse...

lindo o seu texto amigo, é perfeito! mto honesto, acho que o amor entre duas pessoas é algo que merece sempre uma atençao especial, o amor entre amigos é algo muito importante! e o amor familiar, é algo eterno, ter as pessoas que nos amam perto da gente, é a melhor coisa do mundo, algo que nenhum dinheiro do mundo paga