28 de fev de 2012

Verdade e posição.

É tão comum e corriqueiro lidar com máscaras, tanto nossas como das pessoas que convivem conosco. Usamos as máscaras de nossas atitudes, de nossos momentos, de nossas expressões e de nossos humores. Tantos sorrisos escondendo decepções, dores e lágrimas; tantas palavras ocultando corações vazios e sentimentos frustrados.


O pior é que levamos estas máscaras como unidade intrínseca da vida, algo totalmente impossível de viver sem. E só nos pegamos a pensar nelas quando deparamos com questionamentos de quem somos ou frases que repudiam de alguma forma estas máscaras... Eu estava ouvindo uma música de uma banda nacional e ouvi esta frase: " Só quero ser o que eu sou, só quero não ter que mentir, pois ainda não encontrei o que procuro". Então, por breve momento, e com certo receio e constrangimento, foquei minha mente numa reflexão acerca das máscaras e por que repudiamos algo que usamos e vemos com tanta frequência, que já é fundamento do dia a dia da humanidade.


Meu pensamento se finalizou em algumas "soluções". Ou o homem decide por finalizar com esta hipocrisia de questionar e repudiar as máscaras, ou decide por viver de vez e assumir que as usa. O ato de questionar e continuar usando só resulta impasse pessoal, conflito intra e interpessoal, além do descrédito de reflexões e questionamentos feitos pelo homem. O ato de admitir que usa gera uma total falta de confiabilidade por parte daqueles que tem contato direto. O ato de abandono definitivo do uso das máscaras geraria uma pessoa e uma sociedade, que atualmente, estariam vivendo em níveis utópicos, ou seja, algo sem a possibilidade de realização. Todos atos trazem em si contras e poucos prós.


Meu posicionamento é na questão de um cessar na negação do uso de máscaras. Uso máscaras que ocultam minhas lágrimas, minhas dores, meus ciúmes, minhas dúvidas, minhas fraquezas e meus erros. Uso máscaras que ocultam meus desejos e minhas intenções. Uso máscaras, não consigo deixá-las e não consigo continuar nesta luta incessante para que creiam em tudo que mostro e digo, assim negando minhas falhas e meus erros e minha verdadeira condição. Acreditem em mim ou não, pouco importa, o que realmente importa é que eu acredite em mim e esteja bem. Qual seu posicionamento?


Amo vossos corações, mesmo que não amem o meu.
Uli Teffann



Nenhum comentário: